Browsing Category:

Dança de Salão

  • InDança de Salão, Valsa

    Valsa: a dança do amor

    Valsa

    A valsa está por todos os lados. É difícil pensar que alguém nunca dançou uma valsa (ou dançou ao som de uma valsa). Seja em festas de debutantes, formaturas ou casamentos, ela sempre aparece como trilha sonora. A dança do “um, dois, três” e vestidos esvoaçantes surgiu na Áustria e Alemanha. Nos salões de Vienna, conquistou o coração das pessoas, pois permitia que casais dançassem mais próximos do que estavam acostumados na época. A valsa que conhecemos hoje, inclusive, é resultado da popularização do ritmo na cidade.

    A palavra “valsa” deriva da palavra alemã “waltzen”, que significa “dar voltas”. Para executar a dança, são três os passos principais: giro natural, feito para a direita, giro reverso, feito para a esquerda, e troca do passo, que acontece em meio aos giros. Os passos acontecem seguindo o compasso ternário da música, ou o “1, 2, 3” da contagem.

    Quanto à música, a família Strauss possui algumas das valsas mais conhecidas e foi também responsável, em Vienna, pelo desenvolvimento do ritmo. Dentre suas composições estão o Danúbio Azul e a Valsa do Imperador. Outras valsas conhecidas são A Valsa das Flores, de Tchaikovsky e A Valsa dos Patinadores, de Émile Waldteufel. No início do século 19, o ritmo sofreu algumas modificações. As melodias criadas a partir desta época, são mais lentas do que as criadas e popularizadas em Vienna, o que permitiu aos dançarinos mais tempo para aproveitar a dança como socialização e também uma variação nos passos, já que essa mudança facilitou acompanhar a música.

    No Brasil

    Quando a corte portuguesa chegou ao Brasil em 1808, trouxe consigo a valsa e encantou os salões do Rio de Janeiro, onde a elite dançava. Pelo mesmo motivo da popularização em Vienna, a aproximação que a valsa permitia aos casais foi fator essencial para que a dança fosse aceita no país.

    Inspiração

    Depois de aceita e popularizada nos bailes, a prática da valsa inspirou o desenvolvimento de outras danças de salão. Não é a toa que bons dançarinos são chamados “pé-de-valsa”. A posição dos casais para a dança, por exemplo, é uma das características que seguiu em frente com outros ritmos. Nos bailes, a valsa logo passou a dividir espaço com a polca.

    0