Acompanhe:

Voltar ao ballet depois de adulto

Eu resolvi, mais uma vez, voltar a dançar. E dessa vez é pra não parar.

Os motivos são bem simples:

  1. Eu gosto de dançar
  2. Eu preciso fazer atividade física

Então lá fui eu. Depois de um ano completamente parada, voltei. Ah, mas só um ano. Pode parecer pouco, mas a verdade é que emendo idas e vindas desde 2007. Vou contar um pouco de história, então se quiser pular, essa parte, vai ali para baixo que vou falar das dificuldades dessa volta e o que estou fazendo a respeito.

Em 1997, aos quase 6 anos, comecei a maior parte da meus estudos de ballet. Acabei lesionando a panturrilha por bobeira em 2007 e parei. Como 2008 era ano de vestibular, acabei não voltando. Fiz algumas aulas avulsas, mas nada com muito comprometimento. Em 2010, resolvi voltar por estar em crise com a faculdade e ali terminei minha formação de bailarina. Fiz aulas e estágio em 2010 e 2011.

Em 2012 veio a segunda pausa. Precisava estagiar e produzir um TCC para me formar em jornalismo. Durante 2013, apenas dei aulas e, como comecei a trabalhar na minha área da faculdade no finalzinho do ano, me afastei novamente. Dessa data até 2017 voltei a participar de aulas avulsas, mas na metade desse ano surgiu uma oportunidade de apresentar com um um figurino que até então não tinha usado: tutu de prato.

Foram seis meses intensos e, em 2018 veio a preguiça de continuar pelo desgaste de trabalho mais rotina de aulas e ensaios.

Mas foi nesse ano que percebi que eu gosto muito de ballet. Gosto de ser bailarina. Gosto de ensinar o que aprendi. Vi que muito em mim foi moldado nas aulas de ballet e quero poder passar isso para frente. Criei o blog e a coragem para voltar às aulas em 2019. E esse dia chegou.

Sobre voltar a dançar

Fiz como manda o protocolo: comprei collant, meia-calça e sapatilha e voltei para uma turma de nível mais básico para pegar de novo aulas técnicas. A primeira aula fluiu muito bem, na segunda vieram as dores musculares – o corpo voltando a se acostumar com o esforço físico.

O que eu mais percebo que perdi é:

  1. Alongamento
  2. En dehors
  3. Resistência física
  4. Controle corporal

Analisando friamente, não é nenhuma surpresa. Mas como eu estou levando a sério essa volta, separei algumas metas para recuperar o máximo o que perdi – queria deixar claro que não tenho pretensão de me tornar uma bailarina com técnica de companhia ou, de repente, tentar tornar o ser bailarina numa profissão. Honestamente, ainda nem sei se dançar em espetáculos estão nos meus planos. No momento, só quero mesmo voltar a dançar e aproveitar que ainda sou jovem para recuperar um pouco do físico.

Alongamento

Eu nunca fui a bailarina mais flexível, então para mim esse ponto sempre foi desgastante. O objetivo é ter um alongamento que não me deixe sofrendo em saltos ou grand battements. Para isso, além de alongar durante as aulas, estou fazendo alongamentos em casa nos dias sem aulas.

En dehors

Assim como alongamento, o en dehors é super necessário no ballet para a execução da dança e nunca foi meu ponto alto. O tempo parada também prejudicou um pouco, especialmente no que trata da força para manter as posições, especialmente a quinta, na hora dos exercícios. A atenção está redobrada nas aulas e também estou vendo alguns exercícios de fortalecimento, especialmente da coxa, para fazer fora de horário para tentar recuperar mais rápido.

Resistência física

O ser humano é preguiçoso por natureza e não é necessário esforço nenhum para sermos sedentários. Essa parte não tem muito segredo e vai voltar aos poucos com a prática dos exercícios em casa e nas aulas. Eu poderia adicionar uma outra atividade física aeróbica, mas a escola onde eu estudo faz aquecimentos super aeróbicos e que trabalham pesado com essa parte.

Controle corporal

O controle corporal é também resultado de trabalho contínuo na prática da dança. Posso dizer que ele é o conjunto das minhas outras metas. Fechar uma quinta posição bem certinha, não tensionar os braços, melhorar o equilíbrio. É a parte que pode ser a mais decepcionante ao voltar ao ballet porque é resultado do esforço e não vem de uma hora para a outra. Essa parte também estou deixando com as aulas, mas estou mais atenta durante os exercícios para me compreender melhor como bailarina.

Mais alguém voltando a dançar? Lembrando que a experiência que relatei aqui é bem particular e pode ser que não se encaixar para você. Se tiver alguma dica também, pode deixar aqui nos comentários!

 

Previous Post Next Post

Você também pode gostar

No Comments

Leave a Reply